quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

AYER (LA LLUVIA QUE NO HA SECADO)


Ayer, me ha recordado
De mis sentimientos doloridos…
Se habían personificados
En aquella suave lluvia
De un cielo tanto aburrido
Hecha de muchos pedacitos
De gotas semejantes al rocío…
Mientras que no han secado
Y ni han visto algún Sol
O mismo una brecha ninguna
De luz para brillar en nuestros rostros…

Aquella lluvia vivía y mí corazón,
Mismo la visto terminar, estaba mojado.

Leandro Monteiro

domingo, 27 de janeiro de 2013

ON THE EDGE




My head is spinning around,
My eyes are speeding up,
My mouth is like a paw of horse,
Who jams grain of my words spoken.

This is time of night’s fever
Those I can not have a girl;
These is a Saturday’s fever,
This dries all my dries my wet love.

My nose shoots cold magmas
My senses walk trough Sahara
But I am not giving up…

Once day is passing on,
And I need a shelter to rest.

I am so cold I seem to meet
My inner’s pair, my inner demon.
It says I am going to merry her;
However I know I’m on edge.

No I am not going to the hell
As I did not complain the calling
Of heaven, where I do not deserve
To go when my body will turn on dust.

My head is spinning around,
My eyes are speeding up…
But, be sure, I am not going to give up…

Once day passed on.
And I am going to bed.

Leandro Monteiro





sábado, 26 de janeiro de 2013

O LUAR - LIRA I

Este pertence à sessão de "FORMAS POÉTICAS"

Não vejo muitos coelhos
E nem, tão pouco, queijos...
Frutos de uma cabeça
A amar e sonhar a bessa...
Somente vejo o luar.
Só o luar... E nada mais.

Não olho São Jorge na lua
Nem o dragão que o enfrenta...
A crença cega na escuta
Santa, o coração não aceita.
Só aceito olhar o luar.
Só luar... E nada mais.

Mesmo com muitos estigmas
Feitos por espécies caninas,
Não me torno num lobo
– Visão de um crente ignoto.
Ao ver inteiro luar,
Vejo o apenas... Nada mais.
Ando pela noite, ao luar;

Olho as estrelas no céu...
Ambos, com brilho, a guiar
A humanidade com véus...
Vejo o ambiente lunar:
Lua, estrelas... Nada mais.

Eu só creio no luar...
Quando este condiz, no mar,
O destino da Terra:
Dos seres que vivem nela –
Que olham, na vida lunar,
Somente o Além... Nada mais...

Leandro Monteiro

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

domingo, 20 de janeiro de 2013

IRON(Y) (OF) MAN

And Lance bet
All his Arms,
Or I mean,

All his legs
In Strong drugs
To be a hero...

That is so
Bad omen!
Misfortune!

Oh! Desgrace
IN his face!
Of Iron(y) (of) Man.

VULCÃO (HAI-KAI)

E todo calor,
Tensão, se vai na erupção:
Vida anaerótica.
 

sábado, 19 de janeiro de 2013

MANCHETE



De acordo com as tevês japonesa e americana,
Encontraram uma lula gigante
A 630 metros de profundidade
Em território japonês...

Debaixo de criaturas,
Sempre se supõe haver preciosidades...
Haverá um tesouro brasileiro soterrado
Em algum rincão do mundo?

BORBOLETAS

Borboletas voam
Para o sul e para o norte
Em busca de polens.


sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

terça-feira, 15 de janeiro de 2013

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

quinta-feira, 10 de janeiro de 2013